Notícias do mercado imobiliário

Os 573 quilômetros de litoral do Ceará são repletos de destinos turísticos com grande movimentação,

Ceará prevê receita no turismo de R$ 1,6 milhão no primeiro julho sem fortes restrições desde o início da pandemia de Covid: 'expectativa é muito positiva’

Representantes de diferentes setores percebem um aumento da demanda de turistas durante as férias de 2022.

Diferentes segmentos do turismo no Ceará entram com otimismo na alta estação de julho, primeira desde o início da pandemia sem restrições sanitárias por causa da Covid-19. Com isto, a demanda se espalha entre Fortaleza, Região Metropolitana e as partes leste e oeste do litoral cearense. A expectativa da Secretaria Estadual do Turismo (Setur) é que a receita do setor neste mês chegue a R$ 1,673 milhão, 81% maior que em julho de 2021.
O Ceará segue com medidas de combate ao coronavírus, como a obrigatoriedade do passaporte vacinal com pelo menos duas doses da vacina e a recomendação do uso de máscara em espaços fechados ou abertos com aglomeração. Contudo, o funcionamento de todos os setores segue sem limitação de horário ou capacidade de público reduzida.
A ocupação hoteleira neste mês deve crescer 24,13% em 2022, alcançando taxa de 85,53%, em relação a julho de 2021 (68,90%), segundo a Setur. Já a movimentação na rodoviária de Fortaleza tem uma previsão de 45,58% de crescimento. Os aeroportos de Fortaleza, Juazeiro do Norte, Jericoacoara e Aracati também devem estar mais movimentados do que no ano passado. Espera-se que mais de 670 mil passageiros passem pelos terminais, representando um crescimento de 40,99%.
O Beach Park, destino turístico famoso no estado, montou uma programação especial para julho. O parque decidiu abrir uma hora mais cedo — iniciando as atividades às 10h, em vez de 11h. “Então, a expectativa é muito positiva com alta ocupação dos nossos hotéis e um público também importante para o mês de julho”, disse Felipe Lima, diretor comercial do parque aquático.
“A expectativa para julho é muito otimista, a gente tem uma média de ocupação nos nossos hotéis prevista em 83%, que é uma ocupação nos patamares pré-pandemia. A gente preparou uma programação de música ao vivo na nossa Vila Azul do Mar [área de restaurantes e lojas] que funciona até as 22h, e temos as lojas da Vila também que vão estar funcionando durante esse horário”, complementou o representante. 
O parque, localizado em Aquiraz, na Grande Fortaleza, é conhecido pelos brinquedos aquáticos, mas a expectativa positiva para essas férias levou a organização a pensar em diferentes atrações para os visitantes. A programação dos diversos espaços dentro do parque inclui shows de pop rock nacional, surf music, samba, samba rock, country, sertanejo, forró das antigas, forró pé-de-serra, R&B, Soul, black music e clássicos do pop rock internacional.
A alta na movimentação de turistas é percebida também no litoral de Fortaleza. A Feirinha da Beira Mar, que ganhou nova estrutura em 2022, percebeu o crescimento do número de visitantes.
“Para julho a expectativa é sempre boa porque os hotéis estão cheios, a cidade está cheia e quem vem também estava ‘preso’. As pessoas estavam esperando por esse momento para poder viajar. Eu já atendi muita gente que falou que a viagem estava programada desde antes da pandemia, mas só conseguiu viajar agora porque não queria vir com restrições”, afirmou Kelly Maria Bezerra, vendedora de castanha e outros produtos no local, que trabalha há 18 anos na Beira Mar de Fortaleza.
Kelly disse ainda que a alta na demanda, inclusive, já era prevista pela responsável pelo box, que aumentou o estoque. “A minha patroa mandou mais produtos esse mês para eu vender. Aqui o movimento, graças a Deus, é bom e ela manda uma vez por semana. Então, dessa vez ela mandou mais”, explicou a vendedora.
O box onde Kelly trabalha vende diferentes produtos, como cachaça, rapadura, bolo de rolo, mas o principal é a castanha. “O restante é complemento, a castanha é o carro principal; a que a gente mais vende é a torrada — com ou sem sal —, aí tem a natural e a assada na brasa, que é feita como antigamente, torrada no tacho”. Ela disse que os turistas preferem a castanha torrada. Maior movimentação de brasileiros Os 573 quilômetros de litoral do Ceará são repletos de destinos turísticos com grande movimentação, mesmo longe da capital Fortaleza. Um deles é Jericoacoara, vila de pescadores de paisagens paradisíacas, onde a alta estação turística não deixa de impactar.
Marco Dalpozzo, proprietário da pousada Vila Kalango, informou que foi perceptível o aumento na demanda de turismo, principalmente, de brasileiros. “Eles estão viajando menos para fora ainda por conta da pandemia, e também pelos altos custos”, comentou o empresário. Anteriormente à pandemia, Dalpozzo informa que a pousada costumava receber um público bem dividido entre brasileiros e estrangeiros.
A prefeitura de Jijoca de Jericoacoara estima que o destino no litoral oeste receba cerca de 120 mil turistas durante este mês. O público pode aproveitar os 163 voos que o aeroporto municipal faz, em média, por mês durante a alta estação.
A demanda, inclusive, fez Dalopozzo repensar o funcionamento da pousada para julho. “O nosso foco foi criar uma experiência ainda melhor do que antes da pandemia, em termos de contato com a natureza, possibilidade de fazer esportes ligados ao mar e ao vento, que é o nosso diferencial. A gente reviu e reestruturou tudo, demos um ‘banho de loja’ em tudo, sabendo que ia ter uma demanda muito forte do turismo ao ar livre, após tanto tempo preso em casa”, explicou o empresário. Projeções positivas No litoral leste, outro cartão-postal do Ceará é a Praia de Canoa Quebrada, localizada no município de Aracati. Abrigo de belas falésias onde foram esculpidas meias luas e estrelas, e da Rua Dragão do Mar, também chamada de Broadway, com diversos estabelecimentos para comer e beber.
O presidente da Associação dos Empreendedores de Canoa Quebrada (Aesdecq), Ruy Barbosa, disse que há uma boa expectativa para o período, especialmente para um público mais regional, e uma crescente do público que vem de outras regiões. O g1 questionou a Setur e a prefeitura de Aracati sobre a estimativa de turistas para julho de 2022, bem como a movimentação de 2019, mas não obteve resposta até a publicação desta reportagem.
“Para nossa surpresa tem aparecido pessoas do Sul e do Sudeste que não programaram essa viagem, mas acabou comprando de última hora. Então, a expectativa é que, apesar de não ter uma programação, demanda dos anos anteriores, em compensação, nós temos turistas chegando de última hora”, avaliou Ruy, que também é dono da Pousada Latitude, em Canoa Quebrada. 
Ele informou que a pousada possui cerca de 60% de ocupação, mas a expectativa é que o número cresça durante as férias e também na segunda metade do ano. “Essa ocupação deve elevar até o fim do mês, e depois deve ficar em torno de 72% na média do segundo semestre”, projetou o empresário. 
Ele, inclusive, comemorou o cenário de Covid-19 com menos restrições quando comparado a 2021. “Ano passado, a gente só podia ocupar 80% dos quartos, agora todos estão aptos para alugar, sem problemas. No comparativo do ano passado, a gente estava com 60% de ocupação, mas dentro desses 80%; então, essa matemática virou outra”, complementou o presidente da Asdecq. 
O otimismo com a alta estação também consta na projeção da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis Ceará (ABIH/CE). "Nossa previsão de ocupação para o mês de julho é algo em torno de 77%, ou seja, voltando aos patamares das ocupações que tínhamos em 2018, 2019, antes da pandemia. A nossa visão é que nós estamos com dois anos de pandemia, ou seja, dois anos de uma demanda retraída", declarou Régis Medeiros, diretor da entidade.
"A única coisa que vem na contramão disso é a questão dos preços dos bilhetes aéreos que estão muito elevados, muito altos e isso pode atrapalhar um pouco a nossa expectativa", complementou o representante da ABIH/CE.


11/07/2022 Fonte: g1 CE

Últimas notícias