Notícias do mercado imobiliário

Amontada vive mini boom imobiliário e turístico

Litoral de Amontada se tornou destino cobiçado e lida com alta demanda no setor de turismo e empreendimentos. Em entrevista à rádio O POVO CBN, o secretário municipal de turismo e desenvolvimento econômico de Amontada, Roberto Cariri, afirmou que existem 43 hotéis e pousadas na reta final de construção, além de quatro grandes empreendimentos em negociação
Impulsionada pelo turismo, o município de Amontada, no litoral cearense, está vivendo um mini boom imobiliário. Pelo menos 43 hotéis e pousadas estão na reta final de construção e devem ser entregues nos próximos 60 dias. A informação é do secretário municipal de turismo e desenvolvimento econômico de Amontada, Roberto Cariri. 
Em entrevista à rádio O POVO/CBN, ele destacou que há ainda protocolos assinados para instalação de quatro novos grandes empreendimentos turísticos em Amontada. Neste contexto, o secretário destacou medidas para lidar com o crescimento desenfreado da região, que é destino cobiçado dos turistas pelo litoral cearense. 
Na conversa, em que foi exposto o modelo da vila de Jijoca de Jericoacoara, que hoje lida com problemáticas da alta demanda, Cariri detalhou com a atual gestão de Amontada se organiza, a fim de viabilizar o crescimento e promover o bem estar social dos moradores. O secretário defende um modelo de crescimento "equilibrado, socialmente justo, ambientalmente correto e economicamente viável."

O Litoral de Amontada, composto pelas praias de Icaraí de Amontada, Caetanos e Moitas, vive uma intensa de procura nas áreas de turismo e negócios, com o crescimento da rede hoteleira e de grandes empreendimentos de geração de energia a partir de fonte eólica.

Para Roberto Cariri, o sucesso está no modelo de "transversalidade" entre as secretarias, de modo a pensar políticas públicas que alcancem o maior número de pessoas. "Ou seja, a Secretaria de Turismo está preocupada desde a Secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Social, com a capacitação e preparação da mão de obra, porque quando há crescimento econômico, a gente sente um boom não só de negócios, hoje a gente já vê uma migração das famílias amontadenses voltando para aquela região", explica.

Organizar isso é possível, segundo ele, a partir do diálogo que o Conselho Municipal de Turismo promove entre "a associação dos hotéis e pousadas, a associação dos bares e restaurantes, da colônia dos pescadores, associação dos moradores". "Nós criamos um debate sobre o destino, oq nós vamos fazer p cuidar desse destino com crescimento econômico, social e sustentável", reflete.

Durante a entrevista, o secretário destacou ainda a criação do Plano Diretor de 2022, que visa determinar os limites da expansão. "[O projeto detalha] como queremos essa cidade, qual o limite de edificações, o processo de urbanização, quais são as ares de passeio, onde o turista tem acesso", antecipa.

24/01/2022 Fonte: Jornal OPOVO

Últimas notícias