Notícias do mercado imobiliário

INFRAESTRUTURA NO NORDESTE SOMAM R$ 143,4 BILHÕES

Os impactos provocados pela expansão e melhoria dos projetos de infraestrutura física previstos para o Nordeste são fundamentais para acelerar o crescimento econômico regional com maior inclusão social. Obras como as refinarias de Pernambuco, Ceará, Maranhão e Rio Grande do Norte, a integração do São Francisco e a ferrovia Transnordestina contribuirão para diminuir as diferenças socioeconômicas entre Nordeste e regiões mais desenvolvidas do País.
Nesse conjunto de projetos e em outras obras de infraestrutura programadas, o Nordeste receberá investimentos de R$ 143,1 bilhões dos quais 82,3% (R$ 116 bilhões) correspondem à etapa inicial do PAC. Trata-se de cifra considerável, mas alguns setores ainda necessitam de maior atenção. É o caso, por exemplo, do saneamento em que a cobertura da rede de esgotos se limita a apenas 30% dos domicílios e da área energética, na qual a região carece de intervenção mais acentuada, sobretudo nas fontes de energia alternativa.

(Agência Prodetec) - Conforme levantamento feito pelo BNB-Etene sobre a infraestrutura regional quanto maior a qualidade e abrangência de itens como energia, transportes, saneamento e telecomunicações tanto melhor para o processo de desenvolvimento e a grandeza da população e dos setores produtivos do Nordeste. Segundo os pesquisadores, o setor sofreu uma espécie de apagão no Brasil nos anos oitenta e noventa por conta dos problemas derivados da excessiva divida externa. Com a retomada dos investimentos na atual década, especialmente a partir de 2003, o país corre atrás do prejuízo e expande sua infraestrutura com iniciativas como o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).
Refinarias, saneamento, transporte e energia
Dos investimentos programados, as maiores parcelas são direcionadas para Maranhão (R$ 46,3 bilhões), Pernambuco (R$ 34,9 bilhões) e Ceará (R$ 31,1 bilhões), o equivalente a 78,4% do total destinado ao Nordeste. As inversões mais relevantes referem-se à execução das obras das refinarias de petróleo localizadas nas áreas metropolitanas de São Luís (R$ 40 bilhões), Recife (R$ (R$ 23 bilhões) e Fortaleza (R$ 22 bilhões).
A ferrovia Transnordestina, por sua vez, absorverá 52,3% dos R$ 15,8 bilhões previstos para o setor de transportes que também prevê intervenções em rodovias, metrôs, portos e aeroportos, especialmente nos estados da Bahia, Pernambuco e Ceará
A área de saneamento será beneficiada com R$ 16,2 bilhões no Nordeste, dos quais R$ 4,7 bilhões serão destinados para obras de abastecimento de água e esgotamento.
No setor energético, com orçamento de R$ 14,4 bilhões ou 10% do total das aplicações em infraestrutura estimado para o Nordeste, o destaque é o Programa Luz para Todos (R$ 4,2 bilhões). Em termos espaciais, MA (R$ 4,1 bi), CE (R$ 3,9 bi) e BA (R$ 1,2 bi) foram as unidades mais beneficiadas com as obras de geração e transmissão de energia.
PAC 2
No chamado PAC-2, a previsão preliminar de investimento para o Brasil todo é de R$ 1,6 trilhão, divididos entre 2011 e 2014 (R$ 958,9 bi) e pós-2014 (R$ 631,6 bilhões) em seis eixos: energia (R$ 1,1 trilhão no total); cidades (R$ 57,1 bilhões), comunidade (R$ 23 bilhões), habitação (R$ 278,2 bilhões), água e luz para todos (R$ 30,6 bilhões) e transportes (R$ 109 bilhões).
22/09/2014

Últimas notícias